A História da linguagem Java contada pelo professor Gustavo Guanabara

aprenda a programar linguagem java curso fratis

A História da linguagem Java contada pelo professor Gustavo Guanabara

Pausa para o cafezinho! Conheça a origem do nome da linguagem Java e surpreenda-se

Certamente, você já deve ter notado a icônica xícara de café da logo e o próprio nome da linguagem Java. Alguns associam a logomarca ao hábito do cafezinho durante o trabalho ou especificamente a paixão dos programadores (e demais mortais) pela bebida. Só que não… a história por trás do nome Java tem, sim, a ver com café, mas não da forma como você pode imaginar.

Na primeira aula do curso gratuito de Java, o professor Gustavo Guanabara conta a história da linguagem com detalhes. Confira a seguir:

Java é sinônimo de café

Tudo começou quando os holandeses tornaram-se bem famosos por serem os responsáveis por uma das melhores plantações de café do cenário mundial. O império verde holandês estava localizado na Ilha de Java, na Indonésia. Citar a localização para o mercado cafeeiro era, e ainda é, muito relevante em qualquer debate relacionado à bebida. O café ensacado na principal ilha da Indonésia chegou aos EUA contendo o nome do vilarejo “Café Java”.

De lá pra cá muita coisa mudou, mas o que não mudou para os estadunidenses foi a associação do nome Java a esta bebida quentinha, aromática e eletrizante. Contudo, em 1990, nascia uma linguagem de programação que se tornaria uma das mais famosas; a linguagem Java. Nada mais justo do que associar o nome da bebida mais consumida no mundo (sem mencionar a água) à linguagem de programação mais famosa do planeta.

A escolha do nome

Para nomear a linguagem, Java não foi a primeira escolha. Ela se chamaria Oak, em referência a um carvalho (árvore) que ficava nas imediações do escritório do criador do idioma de programação, James Gosling, professor de Ciências da Computação, em Harvard. Mas foi preciso mudar o nome ao descobrir que conseguir a patente seria bem complicado.

Após o obstáculo, vários nomes foram cogitados: Neon, DNA, Ruby… e, finalmente, Java. Uma palavra fácil de ser escrita e que era popular entre os programadores, uma vez que eles bebiam muito “Java” (sinônimo de café para estes norte-americanos).

Hoje, a expressão “Java” foi praticamente abandonada por muitas pessoas nos EUA para significar café, mas a escolha do nome Java para a linguagem continua sendo uma grande sacada. Afinal, a associação com a bebida se intensificou, especificamente, no meio de TI e ainda existe no mundo todo por ter se tornado o nome da linguagem de programação.

O café da ilha de Java ainda é querido entre entusiastas da bebida, seja pelas diferenças em relação aos cafés mais populares encontrados em supermercados ou por seu sabor e aroma exóticos e marcantes. A região continua sendo referência em plantação de café.

A história (técnica) da linguagem Java

Agora que você já conhece a origem do nome da linguagem “Java”, que tal entender como ela se desenvolveu tecnicamente? Tudo começou em 1990, quando a Sun Microsystems criou uma equipe chamada Green Team, liderada por James Gosling. Até esse momento, as linguagens de programação como Pascal e C precisavam de compiladores específicos para cada plataforma. Sem isso, os programas só seriam executáveis para um único sistema. Isso precisava mudar! Foi aí que o “Team Gosling” criou o projeto GreenTalk, que virou a linguagem Oak, capaz de ligar dispositivos diferentes e fazer com que eles pudessem se comunicar.

Proveniente dessa inovação, em 1991, surgiu o Star Seven (*7), um aparelho multimídia capaz de controlar vários dispositivos de uma casa. Infelizmente, o projeto não foi aceito na época e tudo foi engavetado em 1992. Já em 1994, com o advento da World Wide Web (www) e da Linguagem HTML, o projeto da Sun foi restabelecido e o seu objetivo era criar um navegador web capaz de rodar aplicativos em Oak.

Entretanto, o nome “Oak” não poderia ser utilizado por questões de direitos relacionados. Então, a linguagem foi rebatizada em homenagem a uma gíria relativa ao café, mais precisamente ao Java Coffee. Sugiram então o navegador HotJava (café quente) e a linguagem Java, que ficou famosa por conta de matérias veiculadas pela imprensa da época. Em seguida, vários projetos nasceram para usar Java em diversos lugares. O Java Ring e Sondas Espaciais da NASA são grandes exemplos disso.

Em 2006, a linguagem Java se tornou open source, disponibilizando o seu código livre para consultas, pesquisas e personalizações, adotando a licença GPL (General Public Licence). Em 2009, a Sun Microsystems foi vendida para a Oracle por US$7,4 bilhões. Atualmente, a Linguagem Java pode ser encontrada em chips de cartão de crédito, discos de blu-ray, vídeo games (o PlayStation roda Java), leitores de e-books (Kindle roda Java), smartphones (Android roda Java), TV digital (o padrão Ginga é feito em Java), relógios inteligentes (Moto 360 roda Java) e até mesmo no programa para a declaração do Imposto de Renda.

Curso gratuito de Java

A parceria entre a Hostnet e o professor Gustavo Guanabara há muitos anos gera conteúdo de qualidade para o Curso em Vídeo, no YouTube e no site. Os cursos são gratuitos e com videoaulas descontraídas.

Quer aprender a programar em Java? Acesse o Curso de Java Básico. Este curso é indicado para qualquer pessoa que já possua bons conhecimentos de algoritmos e lógica de programação. Se não possuir esses requisitos, recomendamos que faça primeiro o Curso de Algoritmo para se preparar para as aulas de programação.

Durante as aulas, o professor Guanabara vai mostrar a história, introdução e explicação do funcionamento da linguagem, assim como suas sintaxes e estruturas de maneira fácil e atrativa.

Links Relacionados – conteúdos que podem ser do seu interesse:

Estudonauta – Cursos de tecnologia com tutoria
Seja um apoiador do projeto Curso em Vídeo
Canal Curso em Vídeo no YouTube

Rolar para cima